Star Wars : Os Últimos Jedi – Review Vulgar#2

Star Wars – Os Últimos Jedi é o oitavo e mais novo episodio da saga mais icônica da cultura pop, escrito e dirigido por Rian Johnson o filme da sequencia à jornada de Rey, que partiu em busca da orientação de Luke Skywalker para entender melhor suas habilidades e seu passado, enquanto do outro lado da galaxia a Rebelião continua sua luta contra a terrível Primeira Ordem, que apesar de sua última derrota segue aumentando seu poder.

Ray & Luke Skywalker - Star Wars: Os Últimos Jedi
Ray & Luke Skywalker – Star Wars: Os Últimos Jedi

Apesar de em diversos aspectos ser similar ao O Império Contra Ataca (como já era de se esperar) o filme busca o tempo todo alcançar sua própria identidade, o diretor experimenta, e muito, tanto com conceitos que já haviam sido estabelecidos pela franquia anteriormente, como com técnicas visuais e narrativas que nunca haviam sido exploradas pelos filmes anteriores da serie; isso a primeira vista pode gerar estranhamento nos fãs mais puristas da franquia, e lembra também o jeito que George Lucas tentou, de alguma forma, inovar nos episódios I, II e III, então é esperado que as opniões sobre o episodio VIII sejam divisivas.

Esse risco em experimentar novos caminhos em busca de originalidade dentro de uma franquia que tão facilmente pode apelar apenas para a nostalgia (não é mesmo J.J?) por si só já é louvável, e mesmo com problemas no desenvolvimento do arco de alguns personagens secundários (principalmente antagonistas), e humor diversas vezes mal localizado, o diretor alcança o feito de criar um dos filmes mais autorais de toda a saga.

O filme presta um grande serviço a franquia ao restabelecer de vez e até mesmo expandir seu lado mistico e espiritual,  o conceito de força apresentado  na trilogia clássica se inspira em diversos conceitos de religiões e filosofias asiáticas como o budismotaoismo, mas  não foram tão bem trabalhados nas prequels (foda-se os midi chlorians),  ver essas influencias claramente aplicadas visualmente e abertamente discutidas em tela é muito gratificante, tanto que um dos principais temas abordados em Os Últimos Jedi é o caminho do meio, a busca pelo equilíbrio, um dos mais importantes princípios do budismo, em um momento especifico um personagem literalmente transcende seu plano astral e é facilmente um dos pontos mais altos de toda a saga;  em contrapartida os duelos de sabre (tirando um em especifico que é inesperadissimo!) não são bem coreografados e soam diversas vezes muito artificiais.

Mas apesar de mal coreografados, os duelos são muito bem filmados, Rian Johnson usa técnicas características de filmes clássicos de samurai e foca mais na tensão pré duelo, na movimentação dos pés, o sentimento através da expressão dos personagens, do que nos golpes em si.

 Imagem do filme Harakiri (1962) dir. Masaki Kobayashi

Imagem do filme Harakiri (1962) dir. Masaki Kobayashi

 

As batalhas espaciais são oque menos deixa a desejar, tanto nos efeitos visuais, como ver os generais dos dois lados movimentarem suas peças, gera um clima de filme naval muito bom que já foi utilizado em episódios anteriores, mas também são esses os momentos em que o humor é mais nocivo pro filme, ver piadocas quando o ar esta pesado com as baixas da guerra tira muito a gravidade de vários momentos, mesmo assim algumas escolhas estéticas geram resultados incríveis que não haviam sido explorados ainda, e também uma das cenas mais belas do filme.

Os conflitos pessoais dos três personagens centrais, Rey, Luke e Kylo são muito bem trabalhados, tanto pelo roteiro quanto pela atuação, e apesar de algumas interações destoarem muito da proposta do filme, não interfere no desenvolvimento de nenhum dos três,  os três estão perturbados pelos seus passados e angustiados com seus futuros,  e o diretor utiliza muito bem as incertezas dos personagens para gerar incerteza no publico que pode muitas vezes se questionar da moralidade dos protagonistas, essa construção de incerteza e duvida nos heróis constrói o maior clímax da franquia,  tornando definitivamente o episodio VIII o mais imprevisível da saga até o momento.

landscape-1509612767-the-last-jedi-snoke

Assim como seus protagonistas Star Wars: Os Últimos Jedi tem muitas virtudes mas com certeza muitos defeitos também, consequência de experimentar novas formas de trabalhar uma formula já saturada pela repetição, acerta onde O Despertar da Força errou, consegue subverter e ainda assim saudar o legado, de forma que prepara o terreno para algo verdadeiramente grandioso.

Star Wars: Os Último Jedi estreou nos cinemas essa 5ª Feira (14).

Budha

Sobre Budha

Opnião desqualificada porem sincera.
Compartilhe:
comments
Budha
About Budha 2 Articles
Opnião desqualificada porem sincera.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.


*