Dica da semana: Mindhunter, vai encarar?

A neurociência nos últimos tempos, vem participando cada vez mais do nosso dia a dia, sendo em matérias publicadas nas “noticias populares”, ou em estudos apresentados sobre o senso comum. O termo Neurociência surgiu recentemente, em 1970, mas os estudos do cérebro humano são de muitos anos atrás, datam desde a filosofia grega, antes de Cristo. Isso se deve ao fato de que esse é o órgão mais complexo do corpo humano, constituído por milhares de células.E recentemente, os thrillers psicológicos, publicados através de séries vem nos instigando cada dia mais, sobre a psique humana.

Recentemente estreou no Netflix uma série chamada MINDHUNTER, dirigida pela glorioso David Fincher, além de ser um renomado cineasta com um currículo excelente,creio que a capacidade dele em traduzir obras literárias para o mundo visual, cria um um certa peculiaridade em seus trabalhos, através do equilíbrio entre os elementos cinematográficos (roteiro,argumentação, trilha sonora, fotografia e etc) .

MidHunter
Quem lembra de Zodíaco? Pois bem, dirigido pelo dito cujo. Mindunter não deixa a desejar meus caros,a trama acontece na década de 70, o ano que o mundo enfrenta a consequência da violação dos direitos civis, guerras e começam a surgir assassinatos em série, sem motivos aparente.O que faz com que os órgãos responsáveis pela investigação dos casos, comecem a cogitar novas metodologias para entender o que os levaram a cometer esses crimes, principalmente depois do notório caso de Charles Manson.

charlesmansonbanner
Charles Milles Manson, nascido Charles Milles Maddox (Cincinnati, 12 de novembro de 1934), é o fundador e líder de um grupo que cometeu vários assassinatos nos Estados Unidos no fim dos anos 1960, entre eles o da atriz Sharon Tate (na época, grávida de oito meses), esposa do diretor de cinema Roman Polanski.

A narrativa começa com o Agente Ford (Jonathan Groff) especialista em negociação de reféns, e seu interesse pela psicologia forense, e seu parceiro Bill Tench (Holt McCallany) ambos do FBI, começam a viajar ao redor dos Estados Unidos, dando palestras a policiais, com o objetivo de entrevistar os “assassinos em sequência”, já capturados.

Vocês imaginam, o que é estar frente a frente com Edmund Kemper (Cameron britton), por exemplo?

Pois bem, o Gigante que admitiu guardar cabelo, dentes e pele de algumas vítimas como troféus. Também admitiu praticar canibalismo, dizendo preferir a carne da coxa de suas vítimas para fazer a caçarola com macarrão. Comia suas vítimas para que fizessem parte dele.

59e50a1cef52e232008b4730-750-563
Cameron britton (esquerda) interpretando Edmund Kemper (direita).

É com esse sadismo, que os episódios nos trazem cada vez mais surpresas, principalmente com a entrada de uma terceira personagem principal, fundamental para o estudo das vitimas, a renomada psicóloga Fringer interpretada por Anna Torv, na qual analisa os diálogos extremamente profundos e consegue nos transmitir uma percepção maior dos acontecimentos.

59e91cfc1500009e0d74683c
Agente Ford (Jonathan Groff), Bill Tench (Holt McCallany) e Wendy Fringer (Ana Torv)

A história de Mindhunter é baseada no livro homônimo (“Mindhunter – O primeiro caçador de serial killers americano”, ed. Intrínseca) que por sua vez é a história real do agente John Douglas, responsável por criar o perfil dos serial killers em uma época em que a expressão sequer existia, e quando ninguém estava disposto a fazer o que ele fez.

 

Mindhunter

E ai, animou? Nos conte nos comentários, o que vocês acharam dessa série!

Carolina Tsukishiro

Sobre Carolina Tsukishiro

Carolina, atuante na área da educação. Encontrou sua identidade, através do punk que foi o instrumento principal de sua ligação com a cultura Hip-Hop. Filha do mundo, e sobrevivente do caos urbano. Zona Leste, 011.
Compartilhe:
comments
Carolina Tsukishiro
About Carolina Tsukishiro 2 Articles
Carolina, atuante na área da educação. Encontrou sua identidade, através do punk que foi o instrumento principal de sua ligação com a cultura Hip-Hop. Filha do mundo, e sobrevivente do caos urbano. Zona Leste, 011.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.


*